Como escolher um caminhão seminovo

Na hora de adquirir um caminhão, uma das principais dúvidas que surgem é entre um zero quilômetro ou um modelo seminovo. Para esta escolha, não há uma resposta pronta e cada condutor precisa levar em conta uma série de fatores (como o próprio orçamento, os custos de manutenção, financiamentos disponíveis e taxas de juros) para tomar uma decisão. “Não há uma opção melhor ou pior, o interessante é encontrar o produto que atenda às suas necessidades e respeite o seu orçamento”, explica Paulo Arabian, gerente sênior de vendas de caminhões Merdedes-Benz. Para o caminhoneiro que já tomou sua decisão pelo usado ou seminovo, daremos algumas dicas de como fazer a escolha certa do seu caminhão e alguns cuidados que devem ser tomados na hora da compra!

Pesquisar antes de realizar a compra é essencial, comparando modelos semelhantes em motorização e carroceria. O mercado de caminhões usados oferece uma grande gama de veículos seminovos prontos e já equipados com todos os tipos de implementos e equipamentos. E hoje, além dos estabelecimentos comerciais, há também a internet com sites especializados. É possível e desejável realizar a pesquisa em todos os meios, mas lembre-se que realizar uma compra antes de inspecionar pessoalmente o veículo nunca é uma boa ideia!

Planejamento prévio

Curt SchroederAntes de comprar um usado ou seminovo, saiba o que você quer. Isso inclui marca, ano e modelo do seminovo, além de quanto você pretende investir na compra. É claro que você pode aceitar mudanças de ano e modelo, por exemplo, mas tenha uma ideia concreta de quais marcas e modelos despertam seu maior interesse! Também é essencial saber qual será a aplicação do veículo e o tipo de carga/carreta que o mesmo necessita.

Pesquise preços de caminhões usados consultando o mercado e utilizando as tabelas como FIPE e MOLICAR, disponíveis na internet. Desconfie de pechinchas. Preços abaixo do mercado podem mascarar problemas no caminhão. Ao comprar, negocie sempre com tempo e não se deixe pressionar por argumentos que o apressem a fechar a venda. Se estiver em dúvida, prefira voltar um outro dia e analisar melhor. E, se você for fechar um negócio pagando à vista, tente sempre conseguir um desconto!

Quais cuidados tomar?

– O lugar: escolha locais seguros e confiáveis para realizar a compra do caminhão seminovo. O caminhão deve ser comprado em lojas especializadas ou concessionárias de referências e que já tenham tradição no mercado. Verifique também se o revendedor oferece garantia por escrito e se dispõe de estrutura (oficina própria) para executar reparos.

– A procedência: verifique a procedência do caminhão e que tipo de serviço ele fazia antes de ser colocado à venda. Lembre-se veículos que trabalham com materiais leves têm menor desgaste. Desgastes em excesso principalmente na parte de suspensão podem indicar uso severo.

– A documentação: desconfie de preços milagrosos, pois na maioria das vezes esses veículos são comprados de empresas falidas ou de pessoas físicas com alto endividamento. Essas situações podem acarretar um bloqueio judicial da documentação ou outros problemas. Esteja sempre atento se toda a documentação está completa e atualizada.

– O estado e a manutenção: Muitas vezes um veículo de má procedência pode exigir reparos que vão custar mais do que o dobro do valor pago para que o veículo fique em ordem. Tome cuidado! Importante também observar que um veículo com alta quilometragem e boa manutenção, com operação dentro das especificações do fabricante, com certeza é superior a outro com quilometragem baixa, porém com manutenção e operação inadequados.

Inspeção e avaliação física do veículo

Curt Schroeder

Pelo caminhão ser um bem de alto valor agregado, é preciso realizar uma avaliação criteriosa de seu estado mecânico, equipamentos e itens de segurança, pois o veículo deve estar sempre disponível para o transporte de cargas de forma eficiente e segura. O que avaliar ao comprar um caminhão seminovo?

Jamais deixe de verificar as condições dos pneus, lataria, chassi, motor e a parte interna do caminhão. Uma cabine com a tapeçaria e condições internas deterioradas dá sinal de falta de cuidado do motorista, uso em condições severas e manutenção defasada. Os itens mecânicos devem ser observados como em qualquer veículo. Estado do motor e das válvulas, freio, embreagem e caixa de câmbio e outros itens.

  • Lataria: Avalie sempre à luz do dia e evite analisar o caminhão encerado ou molhado, pois dificulta a percepção de manchas, amassados, ranhuras, diferenças de tom na pintura e ferrugem. Às vezes é melhor preferir caminhões com imperfeições do que correr o risco de ficar com um repintado com histórico de acidentes. Teste do ímã: enrole um ímã em uma flanela e passe pela lataria. Se desprender, é sinal de furos cobertos com massa plástica.
  • Possíveis colisões: Observe os faróis e as portas. Se os dois faróis não estiverem no mesmo estado e se houver problemas para fechar a porta, diferença entre vãos ou frisos desalinhados, pode ser sinal de batida. Dentro do capô, verifique se você percebe evidências de solda entre o painel e o para-lama, o que pode revelar uma colisão de frente.
  • Ferrugem: Os locais mais comuns para ferrugem são perto das borrachas, na parte de baixo das portas e dos para-lamas, nas arestas inferiores da carroceria, canaletas e nas bordas das tampas do capô do motor e dos bagageiros. Erga os tapetes – se encontrar ferrugem, água ou umidade, a vedação das borrachas dos vidros e portas está com problemas ou há buracos no assoalho.
  • Suspensão: Teste a suspensão balançando o caminhão usado de um lado a outro. Se quando você soltá-lo ele balançar duas vezes ou mais, os amortecedores de cabine e os embuchamentos de cabine podem estar com problemas. Desgaste excessivo nas molas e junções podem indicar também falta de manutenção adequada. Desconfie de peças lavadas ou que pareçam recém lubrificadas! Pneus desgastados também podem ser problemas de suspensão, mangas de eixos, alinhamento e balanceamento das rodas.
  • Rodas: Certifique-se de rolamento, pivôs e buchas não estão gastos, pressionando as rodas uma a uma, para dentro e para fora, sem encontrar folga.
  • Motor: Se possível, faça um teste drive com o veículo carregado e analise o desempenho do motor em subidas, a precisão do engate de marchas, se a caixa de câmbio ou o eixo traseiro estão apresentando algum barulho “anormal”. Com o motor “quente” e funcionando em marcha lenta, remova a vareta de óleo e verifique o excesso de saída de fumaça branca, isto pode ser um indício de que o motor está com necessidade de ser recondicionado/feito.
  • Dê preferência aos caminhões com pintura original, tanto de cabine como do chassi. Verifique se o caminhão possui as plaquetas de identificação do chassi, do motor, da cabine e os selos d’água com o número do chassi.